Portal no Facebook Portal no Twitter Portal no YouTube Blog do Portal Portal nas Redes Sociais

Confira!

Cidadania e Direitos da 3a Idade... Entrevistas: Mercado de Trabalho, Transportes, Economia... Entrevistas: Saúde e Bem-estar... Reportagens... Confira programação completa... Confira!

Portal Terceira Idade
Notícias do Cidadão Notícias do Cidadão Espaço Livre Espaço Livre Shows e Eventos Shows e Eventos Cursos e Atividades Cursos e Atividades Parcerias Parcerias Direitos 3a.Idade Direitos 3a.Idade

Diálogo Aberto

Enquete "Você acha
que...?"
Enquete
Cadastre-se Cadastre-se
no Portal
3a.Idade!
Busca Procurando
algo no site?
Busca
Pesquisa Links para
Pesquisa
Mural de Trocas Anuncie
seu produto!
Mural
de Trocas
Fale Conosco Dúvidas?
Sugestões?
Críticas?

Fale
Conosco
Dicas de Internet "Download"?
"Browser"?
Dicas
de Internet

Colméias da 3a.Idade
Colméias da 3a.Idade
Escolha o seu assunto e participe de nossas salas de chat temáticas

Notícias do Cidadão
Notícias

Ciência - Envelhecimento
Podemos curar o Alzheimer “desfazendo” o envelhecimento?
O envelhecimento e as doenças relacionadas a ele são estágios diferentes do mesmo processo, e é ele que deve ser revertido para curar essas doenças
Nicolas Chernavsky
Jornalista pela ECA-USP e tradutor de livros de biotecnologia, entre eles, “O fim do envelhecimento”, do biogerontologista britânico Aubrey de Grey, é colunista convidado do Portal Terceira Idade
Fale com o colunistaFale com o colunista
Fale com o colunista
Podemos curar o Alzheimer “desfazendo” o envelhecimento?

A ciência de ponta pretende reduzir os danos celulares e moleculares do envelhecimento até um ponto em que o Alzheimer seja superado

urante os séculos XIX e XX, a medicina teve um sucesso espetacular contra as doenças infecciosas. Com vacinas, antibióticos e saneamento básico, entre outros fatores, reduziu drasticamente a mortalidade infantil e estendeu a expectativa de vida da humanidade de forma acentuada.

Porém, desde o final do século XX, quando as principais causas de morte nos países mais desenvolvidos passaram a se concentrar nas doenças relacionadas ao envelhecimento, como as doenças cardiovasculares, o câncer e o mal de Alzheimer, a medicina reduziu muito a velocidade de seu avanço, em parte devido a que tentou tratar estas doenças como tratava as doenças infecciosas. Mas isso mudou.

Estágios diferentes do mesmo processo

O jornalista e tradutor Nicolas ChernavskyOs laboratórios e empresas de biotecnologia de ponta atuais perceberam que o envelhecimento e as doenças relacionadas ao envelhecimento são estágios diferentes do mesmo processo, e é ele que deve ser revertido para curar-se essas doenças.

Assim, o mal de Alzheimer não é algo que simplesmente "se pega", mas a fase final de um longo processo de acumulação de danos celulares e moleculares, que começa muito antes de uma pessoa manifestar os sintomas do Alzheimer.

Para desfazer esses danos, foram desenvolvidos ao longo das últimas décadas diversos tratamentos que conseguiram recentemente desfazer um dos danos envolvidos no mal de Alzheimer – a acumulação de um tipo específico de material extracelular envolvido na doença.

“Desfazendo” o envelhecimento

No entanto, outros fatores que causam o Alzheimer, como a acumulação de determinados agregados intracelulares, ainda não podem ser desfeitos pelos tratamentos atuais, e por isso a doença ainda não tem cura. Mas implementando-se a estratégia de reparação de danos, especialmente com o avanço das técnicas para eliminação de materiais resistentes intracelulares e das células senescentes (que estão em processo de envelhecimento), há consideráveis perspectivas de reversão do mal de Alzheimer nas próximas duas décadas.

Essas tecnologias de reparação de danos não vão curar as doenças relacionadas ao envelhecimento mantendo a pessoa envelhecida, mas rejuvenescendo-a, porque seu mecanismo de ação será justamente reduzir a quantidade de danos celulares e moleculares acumulados, até um ponto em que o corpo possa tolerá-los sem que seja afetado consideravelmente seu funcionamento, ou seja, até o ponto em que, durante o processo de envelhecimento, a pessoa ainda não apresentava os sintomas das doenças relacionadas ao envelhecimento.

A medicina está a ponto de dar um grande salto no século XXI, desfazendo o envelhecimento e suas doenças associadas, como o mal de Alzheimer.


Fotos/ilustrações: divulgação
Mais sobre o assunto na internet
Revista Galileu > Reportagem > Envelhecimento
O profeta da imortalidade
O cientista do envelhecimento Aubrey de Grey afirma que, em 2030, estaremos vivendo até os 130 anos. E que os homens que farão mil aniversários já nasceram. A seguir ele conta como isso será possível
YouTube > NTZ Publicações > Lançamentos (vídeo)
Lançamento do livro "O fim do envelhecimento"
Assista à entrevista realizada com o autor do livro durante o evento de lançamento em São Paulo (legendas em português; duração: 51’’30’)
Mais sobre o assunto no Portal Terceira Idade
Notícias > Envelhecimento - Entrevista
Os vários olhares sobre o envelhecimento
“Idade biológica ou cronológica? A velhice é uma doença? Sexo depois dos 60?” Para responder estas e outras perguntas, especialistas expõem seus pontos de vista, quebrando mitos e tabus sobre o tema

Outras Notícias

Portal Terceira Idade® é uma realização da
Associação Cultural Cidadão Brasil
©Todos os direitos reservados
Desenvolvimento, Webdesign e Sistemas: Auika - Web & Graphic Design